Suculentas Pendentes

Plantinhas Suculentas: Como Cuidar
30 de setembro de 2020
Como fazer vasos decorativos?
7 de novembro de 2020

                Pensou em  suculentas pendentes e não sabe identificá-las?   Vamos conhecer juntos algumas opções para sua casa.

As suculentas são plantas de regiões semidesérticas ou semiáridas que, em seu habitat natural, suportam períodos sem água. E por causa disso, desenvolveram a capacidade de acumular a água não só em suas folhas, como também nos troncos e raízes.

As Suculentas Pendentes e a Luminosidade

Surpreendentemente, apesar de praticamente todas as suculentas preferirem iluminação forte ou meia sombra, é possível manter algumas espécies totalmente à sombra. Desde que você escolha um local que tenha grande incidência de luz indireta.

Algumas suculentas pendentes são simples de cuidar, não exigindo muita atenção, outras são indicadas para cultivadores experientes.

De qualquer forma, como qualquer outra planta, os cuidados se iniciam observando o que a espécie em questão necessita. E o trio básico de cuidados é :

  • luminosidade
  • rega
  • adubação

Espécies de Suculentas Pendentes

A variedade de espécies suculentas são enormes e escolher uma planta pode parecer confuso no início. Com o tempo você acaba se acostumando com a diversidade e os detalhes de cada planta.

Aprender os nomes acaba sendo um bom desafio; e a  brincadeira fica cada vez melhor, e pode virar um hábito. Eu diria que você vai até gostar de chamá-las pelo seu nome científico. 

1 – Corações-emaranhados (Ceropedia woodii)

corações emaranhados ceropedia woodii

Família: Apocynaceae

Está entre as plantas suculentas de fácil cultivo. Originalmente da África do Sul, seu habitat natural é em rochas de encostas. Não suporta temperaturas abaixo de 10º. Os ramos das suculentas pendentes Corações-emaranhados podem chegar a 4 metros.

Como planta de interior escolha um local próximo às janelas que garanta pelo menos 3 horas de sol. Se não tiver claridade suficiente, suas folhas vão perdendo o marmoreio, indo para o verde claro. As regas devem ser moderadas. Não espere que o solo esteja completamente seco entre essas regas. Tenha cuidado com o excesso de água, que pode causar o apodrecimento dos tubérculos. Adube com fertilizantes líquidos, uma vez ao mês; uma tática de prevenção, é usar metade da recomendação do fabricante para evitar a queima das raízes.


2 – Onze-horas (Portulaca grandiflora)

portulaca grandiflora onze horas

Família: Portulacaceae

Com folhas suculentas de verde intenso, a Onze-horas tem  flores simples ou duplas nas mais variadas cores. É uma planta nativa do sul do Brasil, Argentina e Uruguai. Cresce rapidamente, podendo chegar a 30 cm. Porém é uma planta que tem seu período de germinação, florescimento e morte dentro de um ano. Mas sua beleza e profusão de flores compensa. Fica lindíssima tanto em vasos pendentes e floreiras quanto como forração de canteiros.

É uma planta de sol pleno, florescendo mais abundantemente em períodos mais quentes como primavera e verão. Em períodos de chuva, se possível, proteja sua planta com plástico; isso vai mantê-la livre do excesso de umidade.


 

3 – Hera-do-cabo(Senecio macroglossus)

senecio macroglossus hera do cabo

Família: Asteraceae

Originária das florestas da África do Sul. A primeira vista lembra a Hera (Hedera helix), suas folhas são verdes brilhantes e suculentas. A espécie variegada, de folhas verdes com bordas amareladas é facilmente encontrada. A Hera-do-cabo produz flores amarelas.

Planta resistente a seca e ao calor. Pode ser cultivada tanto em sombra, quanto sol pleno. O substrato deve ser rico em matéria orgânica e bem drenado. As regas devem ser moderadas. Fica lindíssima como planta pendente, pois seus ramos são abundantes e o aspecto volumoso. Além disso pode ser cultivada como forração ou como trepadeira.


4 – Colar-de-bananas (Curio radicans)

curio radicans senecio radicans

Família: Asteraceae

Curio radicans faz parte de pelo menos mais 15 espécies suculentas que, antes pertenciam ao gênero Senecio. Ao longo das folhas existe um veio mais claro, são pequenas e pontiagudas. A Colar-de-bananas se desenvolve em rochas e arbustos. São tolerantes a seca e não gostam de ambientes úmidos. Podem ser cultivadas em sol pleno ou meia sombra. Quando exposta a luz solar direta, as folhas adquirem um tom avermelhado. Suas flores são delicadas e exalam um aroma adocicado que pode atrair insetos. Natural da África do Sul onde são consumidas como alimento.

Gosta de substrato arenoso e bem drenado. A adubação deve ser anual. Embora não seja atraído por pragas, esteja atento às cochonilhas. É de fácil reprodução através de estacas que, enraízam em poucos dias.


5 – Trepadeira-sueca (plectranthus prostratus)

plectranthus prostratus suculentas pendentes

Família: Lamiaceae

Muito linda, a Trepadeira-sueca, tem caule do tipo rastejante e muito ramificado, com folhas bem grossas, formando um pequeno arbusto compacto. Se alastra com rapidez. Quando expostas ao sol, suas folhas adquirem um tom roxeado nas bordas. Podem ser cultivadas à meia-sombra. Se multiplica muito facilmente por estacas ou sementes. Outro nome popular dessa planta é Boldinho-suculento.

Gosta de substrato rico em matéria orgânica, suas flores surgem na primavera e são bem pequenas em tons de vinho. Regas moderadas. A adubação deve ser anual.


6 – Rabo-de-burro (Sedum morganianum)

sedum morganianum rabo de burro

Família: Crassulaceae

Duas suculentas pendentes que se confundem: Sedum morganianum e Sedum burrito, popular Dedo-de-moça. A Rabo-de-burro porém, tem as folhas mais longas e pontiagudas e, são mais sensíveis a queda. É nativa do México. As flores avermelhadas aparecem nas pontas dos ramos.

Se quiser muitas flores e ramos bem cheios cultive-as com pelo menos 6 horas de sol diário. Do contrário, ela ficará estiolada com espaçamento entre uma folhinha e outra. O excesso de água no vaso ou encharcamento do solo, rapidamente apodrece as raízes. Então escolha solo drenado e arenoso e deixe-o secar entre as regas.


7 – Salsa-brilhantina (Sedum makinoi)

sedum makinoi suculentas pendentes

Família: Crassulaceae

Popularmente chamada de Salsa-brilhantina ou Barba-de-moisés, essa espécie possui pelo menos mais duas opções como suculentas pendentes. A Sedum makinoi “Variegata” e a Sedum makinoi “Áurea”. Variando apenas nos tons de verde. Suas folhas verdinhas, pequenas e arredondas são delicadas e muito charmosas. Como cultivo, não exigem muitos cuidados. Enraízam muito facilmente, se alastrando horizontalmente e sendo tolerantes a solos mais pobres, sempre arenoso. São nativas da Ásia, sobretudo das ilhas japonesas.

Prefira o cultivo a meia-sombra, em ambiente muito iluminado para que suas folhas não cresçam estioladas. Assim você vai conseguir um aspecto volumoso. São resistentes a seca, exigindo pouca rega.


8 – Planta-tapete (Sedum lineare)

sedum lineare planta tapete

Família: Crassulaceae

Você vai encontrar uma diversidade enorme na família das Crassulaceae. Grupos de suculentas que preferem regiões mais frias e, outros, regiões mais amenas. As Plantas-tapete são ideais para cultivo como suculentas pendentes. Ficam lindas quando suas hastes tombam e realçam as folhas pontiagudas que crescem em espiral. São bastante ramificadas, formando facilmente um pequeno arbusto volumoso. Suas flores são amarelas e miudinhas. Natural da Ásia, essa suculenta também apresenta uma espécie variegada com bordas claras; veja logo abaixo.

Toleram climas variados e por causa disso podem ser cultivadas em todas as regiões do país. No verão e em temperaturas mais altas, convém tirá-las do sol para não queimar as folhas. Esse grupo requer regas mais frequentes.

 

9 – Planta-tapete-branco (Sedum lineare “variegata”)

sedum lineare variegata

Família: Crassulaceae

Assim como sua irmã acima, a especie “variegata” também fica muito volumosa em vasos pendentes. Elas são utilizadas frequentemente como forração em jardins e também para compor arranjos. Para manter a predominância das folhas variegadas, arranque as folhas simples verdes assim que surgirem. A florescência da Planta-tapete-branco é rara.

Regas e cuidados devem ser os mesmos da Sedum lineare.


10 – Tapete-Roxo (Crassula pellucida “rubra”)

crassula pellucida rubra

Família: Crassulaceae

A suculenta Tapete-roxo tem um impacto enorme quando plantada junto com outras suculentas. Com efeito contrastante do roxo e do lindo formato das folhas, ela se destaca em qualquer arranjo. Planeje juntar outras suculentas pendentes e veja o resultado maravilhoso.

As regas devem ser constantes o ano todo. Para manter o tom roxeado, é preciso muita luminosidade. A adubação pode ser mensal, com o cuidado de usar uma quantidade menor do que a indicação da embalagem.


11 – Travesseiro-de-anjo (Crassula lanuginosa)

crassula lanuginosa travesseiro de anjo

Família: Crassulaceae

A Crassula lanuginosa é nativa da África do Sul. Suas folhas tem um tom acinzentado devido aos pelinhos que cobrem toda a planta. Preferem luz solar à sombra, porém podem queimar as folhas sob sol intenso. Seu tom pode variar de acordo com a quantidade de luz oferecida. Em ambientes internos, prevalecerá o tom verde. Uma característica das Crassulas é se propagar facilmente através de uma única folha.

Quanto às regas, evite molhar as folhas. Durante o inverno, diminua a quantidade de água. Gosta de solo arenoso e bem drenável.

Leia também:


12 – Colar-de-ruby (Othonna capensis)

othonna capensis colar de ruby

Família: Asteraceae

Uma das suculentas pendentes mais charmosas que você vai encontrar. O caule roxo faz um contraste lindo com as folhas verdinhas. Quanto mais luminosidade, mais realce você vai conseguir. E quando surgem as flores? Como se fossem pequenas margaridas amarelas! A suculenta Colar-de-ruby gosta de clima quente, podendo ser cultivada tanto à meia sombra quanto sombra. O sol pleno pode não ser favorável. Em ambientes internos procure um local muito bem iluminado. Também nativa da África do Sul, não toleram temperaturas abaixo de 10º.

Prefira vasos rasos, com boca larga e uma boa camada de drenagem no fundo. Substrato bem drenado. As regas devem ser moderadas dependendo da região do país em que você está. O melhor é esperar o solo estar mais seco para efetuar a próxima rega.

 


13 – Colar-de-pérolas (Senecio rowleyanus)

senecio rowleyanus colar de pérolas

Família: Asteraceae

Suas folhas, na verdade, são bolinhas verdes que lembram ervilhas. Mais uma contribuição de planta inusitada para o time das suculentas pendentes. Para ter um vaso cheio, mantenha, inicialmente, a planta em contato com o solo dentro do recipiente, até conseguir um tapete de bolinhas. E, após o enraizamento, comece a guiar os ramos para fora do vaso, criando assim uma planta mais compacta. Sua suculenta Colar-de-pérolas vai ficar um show de linda.

Muita atenção nas regas. Essa planta é mais sensível em relação a umidade. Apodrece muito facilmente se tiver excesso de água. O melhor seria usar um vaso de barro, que absorve a umidade. Seja moderado, verifique sempre se o solo está completamente seco antes de fazer a próxima rega.


14 – Brinco-de-rainha (Kalanchoe x gracilipes)

Kalanchoe gracilipes tessa

Família: Crassulaceae

A profusão de flores é que dá o nome popular dessa espécie, Brinco-de-rainha. Você vai se encantar, as folhas são em formato oval e com bordas avermelhadas que ficam mais evidentes a medida que recebem maior quantidade de luz.  E, quando floridas, ficam maravilhosas em vasos pendentes. É uma planta híbrida, cruzamento da Kalanchoe gracilipes e Kalanchoe manginii. Também pode ser encontrada como Kalanchoe Tessa.

Coloque em substrato orgânico com boa drenagem. As regas devem ser regulares. Prefere climas mais amenos, como da região Sul do país.

As suculentas pendentes tem esse aspecto único e robusto que atraem muitos curiosos. Não apenas cultivadores e jardineiros como também quem nunca teve uma plantinha em casa.Com o propósito de criar um arranjo, ornar um cantinho da casa ou, simplesmente, uma compra compulsiva, ter vasinhos de suculentas em casa virou moda. Elas são populares e encantam quando crescem vigorosas e saudáveis.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.