Pilea Peperomioides, a Fascinante Planta-Chinesa-do Dinheiro

Alamanda amarela flores brasileiras
Flores Brasileiras
8 de abril de 2024
plantando tomates e cebolas mão segurando muda
Cultivo Caseiro: Iniciando Sua Horta Plantando Tomates e Cebolas
22 de abril de 2024

Que tal conhecer um pouco mais sobre os cuidados da encantadora Pilea peperomioides, popularmente conhecida como Planta-chinesa-do-dinheiro ou Planta-da-amizade. Com folhas redondas e brilhantes como moedas, ela tem feito sucesso não só pela sua facilidade de multiplicação, mas também por sua simplicidade no cultivo.

Como um leitor assíduo do nosso blog, você talvez se lembre que já exploramos outra espécie do gênero Pilea. Por exemplo, a Pilea microphylla, conhecida por sua estrutura delicada e folhagem densa. Enquanto a Pilea microphylla se destaca por suas folhinhas pequenas e seu crescimento expansivo, a Pilea peperomioides oferece uma estética mais minimalista. Ela é frequentemente usada como um elegante elemento decorativo em interiores.

Originária das montanhas da China, a Pilea peperomioides foi trazida para a Europa no início do século XX e desde então tem se espalhado por outros continentes.

Aliás, ela recebe nomes interessantes como “UFO Plant” nos Estados Unidos, por causa de seu formato quase extraterrestre de suas folhas. Além de “Bauchnabelpflanze” (Planta do Umbigo) na Alemanha, só para citar alguns.

Origem da Pilea Peperomioides

A Pilea peperomioides é originária do sudoeste da China, mais especificamente das províncias de Yunnan e Sichuan. Ela foi descoberta nos primeiros anos do século XX por exploradores europeus, o que pode ser considerado uma descoberta recente.

No entanto, foi o missionário norueguês Agnar Espegren quem levou a planta para a Europa após sua viagem à China em 1946. O que, aliás, contribuiu para um dos seus primeiros nomes populares, “Missionary Plant“.

pilea peperomioides em mesa branca

Os Encantos da Planta-Chinesa-do-Dinheiro

A característica mais encantadora da Planta-chinesa-do-dinheiro são suas folhas verdes redondas, lisas e brilhantes. Além disso, elas têm um detalhe que faz toda a diferença no seu visual, seu pecíolo inserido no centro da folha, que na botânica é chamado de folha peltada.

Ao mesmo tempo, as folhas lembram pequenas moedas penduradas em hastes finas e eretas. Elas medem entre 6 a 10 cm de diâmetro e possuem uma coloração uniforme verde bem intensa.

Embora os caules sejam finos e de cor esverdeada quando jovens, eles vão se tornando mais lenhosos à medida que a planta envelhece. O caule pode crescer ereto ou levemente inclinado, dependendo da quantidade de luz recebida. O que talvez exija uma haste de apoio.

O florescimento além de raro em ambientes internos, quando acontece, mostram flores pequenas e de cor branca, como um tipo de espiga que surge do centro da planta.

Como Cuidar da Pilea Peperomioides dentro de Casa

A Pilea peperomioides gosta da sombra de dentro de casa, com aquela luz natural indireta bem clara. Mas ela pode se desenvolver melhor quando cultivada em meia-sombra, com a luz solar fraca, do início ou fim do dia.

Podemos considerar a temperatura ideal para essa espécie entre 18°C e 25°C. Como uma planta originária das regiões montanhosas chinesas, ela pode ser cultivada em locais com temperatura mais baixas. Um limite seria algo em torno de 10° C, mas não é resistente a geadas ou ao frio intenso.

Como Regar e manter um Bom Substrato

Como sempre menciono por aqui, a frequência da rega depende de vários fatores. Por exemplo, inclui a umidade do ambiente, a estação do ano e as condições de luz.

Sendo assim, uma regra geral seria regar quando apenas o topo do substrato estiver seco ao toque dos dedos.

Mas sempre tem alguém pedindo por uma noção de quantidade ao longo da semana. Então, isso geralmente significa regar sua planta pelo menos uma vez por semana.

Para verificar a necessidade de rega, a dica de enfiar o dedo no substrato até uns dois centímetros ainda se mostra bem eficaz para decidir.

Nesse sentido, se o solo estiver seco, é hora de regar ou se ainda estiver úmido, espere mais alguns dias antes de verificar novamente.

Escolha um substrato com composto orgânico, bem soltinho, onde a água escorra com facilidade.

Como Adubar 

Mantenha uma nutrição frequente durante os meses de crescimento ativo da Pilea, que geralmente são da primavera ao início do outono.

Escolha usar um fertilizante líquido equilibrado que pode ser específico para plantas de interior.

Assim, fertilize sua Pilea peperomioides uma vez por mês durante a primavera e o verão e diminua a frequência para uma vez a cada dois meses no restante do ano.

Propagação: Compartilhando a Planta-da-Amizade

Um dos nomes populares em vários países da Pilea peperomioides é Planta-da-Amizade. Isso devido exatamente à sua facilidade de propagação e multiplicação.

Vamos detalhar inicialmente o passo a passo da propagação por separação dos brotos da planta-mãe para você conferir.

Propagação por Brotos

  • A Pilea peperomioides geralmente produz brotos ou “filhotes” na base da planta mãe ou diretamente do solo ao redor.
  • O melhor é aguardar até que o broto tenha pelo menos 5 cm de altura e possua suas próprias raízes. Isso geralmente leva algumas semanas após eles começarem a aparecer.
  • Com cuidado, retire a planta mãe do vaso e localize as raízes do broto. Use uma tesoura ou faca limpa para cortar o broto. Inclua uma boa parte das raízes.
  • Encha um pequeno vaso com o substrato preparado. Faça um buraco no centro do substrato para acomodar as raízes do pequeno broto.
  • Ajeite pressionando levemente o substrato ao redor da planta para firmá-la.
  • Agora regue o substrato levemente para assentar a terra e ajudar a estabelecer as raízes.
  • Coloque o novo vaso em um local que seja claro, mas sem a luz solar direta.

Muda de pilea peperomioides em vaso de plástico seguro por mãos

Propagação por Estacas

Além de propagar através dos brotos, a Pilea peperomioides também pode ser propagada por estaquia de folha ou de pedaços de caule.

  • Separe um caule saudável que tenha pelo menos duas folhas e um nó.
  • Com uma tesoura ou faca limpa e afiada, corte o caule logo abaixo desse nó. Tome o cuidado de escolher uma estaca com cerca de 7 a 10 cm de comprimento.
  • Remova as folhas inferiores da estaca, se tiver, e deixe apenas algumas no topo para garantir que a planta possa continuar a realizar fotossíntese.
  • Não é bom deixar as folhas em contato com o solo ou a água, pois podem apodrecer.
  • Se quiser enraizar na água é só colocar a parte cortada da estaca em um copo ou jarro de água, garantindo que o nó esteja submerso.
  • Escolha um local bem iluminado, mas sem luz solar direta e troque a água a cada poucos dias para manter a clareza e a oxigenação.
  • Se preferir, faça o transplante direto para o substrato.
  • Após algumas semanas, você notará o desenvolvimento de raízes a partir do nó.
  • Quando as raízes atingirem cerca de 2 a 3 cm, aí é hora de transplantar essa estaca para o solo. E então é só manter os mesmos cuidados já mencionados anteriormente.

Enfim, essa é uma plantinha linda e super elegante para se ter em casa. Sem falar que você pode presentear todos os amigos e familiares.

 

2 Comments

  1. Gecilene seraphim disse:

    São lindas só não tenho sorte

    • Casa Maria Lucia disse:

      Gecilene, continue tentando, também já perdi muitas plantas. Vamos ganhando experiência com cada uma delas, não é mesmo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *